Cuidamos com carinho do seu melhor Amigo, aqui É dos Bichos!

Dispomos de um atendimento 24 horas com uma equipe altamente qualificada.

Cão D’água Português

Como o próprio nome sugere, o Cão d’Água Português é uma a raça nativa da província Portuguesa de Algarve, que fica no litoral. Os pescadores locais costumavam usar este cão como assistente na pesca e guardião dos seus navios e mercadorias, por ser um grande nadador e ter excelente visão e olfato.
Quando o seu dono estiver pescando, o cão fica acompanhando com o olhar e, se um peixe escapar, ele imediatamente mergulhará no mar para pegá-lo. Atualmente, esta raça é também muito usada como cão de guarda e cão de companhia.

 

Comportamento

Cão d’Água Português é muito inteligente, extrovertido, impetuoso, enérgico e atlético. É um bom guardião e também um grande amigo das crianças. Como seu nome sugere, este cão ama nadar e aprecia muito qualquer atividade relacionada com a água.

 

Aparência

O Cão de Água Português tem peito robusto, largo e profundo. Ele tem cabeça grande e bem proporcional, com uma parada bem definida e focinho estreito. As orelhas são finas e ficam acima da linha dos olhos. A cauda é larga na base e vai afinando para a ponta. Tem pelagem muito resistente, densa e forte, que cobre todo o corpo. São duas variedades de pelagem: a primeira, de pelos ondulados e longos, e a segunda, de pelos curtos e bastante crespos. Esta raça pode se apresentar em cores únicas, preto, branco e marrom, ou em combinações de preto e branco ou marrom e branco.

 

Cuidados específicos

O Cão de Água Português precisa de muito espaço e abundância de exercícios diários, sendo também muito importante incentivá-lo a cada dia. Esta raça é bastante fácil de treinar, desse que o proprietário lhe ofereça uma educação forte e contínua, que certamente o tornará um cão muito obediente. Recomenda-se escovar e pentear o Cão de Água Português com frequência.

 

Saúde

Problemas hereditários que afetam mais a raça são displasia coxofemural e atrofia progressiva da retina. Existem também alguns casos de uma doença chamada “doença de armazenamento”, que é um distúrbio raro, caracterizado por uma deficiência das enzimas.

 

História do Cão D’água Português

As origens da raça do Cão d’Água Português são antigas e bastante obscuras. Uma provável referência ao cão d’água é o texto escrito por um monge, de 1297, que descreveu o salvamento de um marinheiro por um cão com “o pelo comprido e preto, tosquiado até a primeira costela, e com um tufo na ponta da cauda”, um padrão de tosa muito comum nos cães d’água. Outra referência é uma gravura do início do século XIX, que retrata a chegada do rei de Portugal D. Miguel à praia de Belém, mostrando um cão d’água nadando em direção ao barco do rei.

Originalmente o Cão d’Água Português, por ser um excelente nadador, foi muito utilizado pelos pescadores portugueses como ajudante nos barcos, guiando cardumes de peixes às redes, recuperando objetos caídos na água, levando mensagens entre barcos e entre a terra e o mar, além de muitas outras atividades.

O escritor Raul Brandão, em sua obra Os Pescadores (1932), descreveu a atividade de um barco de pescadores da cidade portuguesa de Olhão: “Tripulavam-no vinte e cinco homens e dois cães, que ganhavam tanto quanto os homens. Era uma raça de bichos peludos, atentos um a cada bordo a ao lado dos pescadores. Fugia o peixe ao alar da linha, saltava o cão ao mar e ia agarrá-lo ao meio da água, trazendo-o na boca para bordo”.

A partir do século XX, com as novas tecnologias da pesca, o trabalho dos cães d’água tornou-se progressivamente obsoleto. O número de cães da raça diminuiu muito e na década de 1930 os poucos exemplares restringiam-se à costa do Algarve. Em 1934, dois cães d’água de Sesimbra participaram pela primeira vez de uma exibição canina, inscritos pelo criador de cães Federico Pinto Soares. Estes animais chamaram a atenção de Vasco Bensaúde, um rico empresário açoriano que também era criador de cães. Bensaúde adquiriu quatro exemplares da raça para seu canil Algarbiorum e iniciou um cuidadoso programa de seleção. O exemplar mais importante foi um macho chamado Leão, que viria a servir como padrão para a raça Cão de Água Português.

Recentemente, a raça ganhou publicidade inesperada após a família do presidente dos EUA, Barack Obama, ser presenteada pelo falecido senador Edward (Ted) Kennedy, com um Cão de Água Português como mascote. O cão, chamado Bo, foi apresentado ao público na data de 14 de abril de 2009, em meio a grande interesse da imprensa.

 

Características do Cão D’água Português

Cão d’Água Português é muito perseverante, energético, impetuoso e robusto, dotado de um bom faro, além de ser ótimo nadador e um mergulhador extraordinário, características típicas de um bom cão de caça d’água. Pode ser um cão de guarda ou um agradável cão de companhia, mas deverá receber educação firme.

Esta raça precisa de espaço e de muitos exercícios. Deve ser penteado e escovado com frequência. Em ocasião de exposições ou prêmios, sua parte posterior deverá ser tosada desde a última costela até dois terços da cauda.

Este cão de porte médio é harmonioso, muito musculoso e tem movimentos soltos.

 


 

Autor: Dr. Ricardo Tubaldini | Fonte: CachorroGato