Especialidade

Oncologia Veterinária

A Clínica É dos Bichos conta com oncologistas especializados, capacitados para identificar, diagnosticar e providenciar a melhor forma de tratamento do animal com tumor.

Tumores podem ocorrer em animais jovens, adultos e idosos. Algumas raças de cães têm maior predisposição a apresentar lesões tumorais. Nos gatos algumas neoplasias mais frequentes estão associadas à presença de vírus como o da AIDS Felina e da Leucemia Felina.

Para se diagnosticar um tumor e diferenciá-lo de benigno ou maligno é necessária uma série de exames. A Clínica É dos Bichos conta com todos os recursos para realizar esses exames, oferecer o melhor atendimento e um rápido diagnóstico.

Após o diagnóstico é traçado um plano de tratamento, que pode ser cirúrgico, medicamentoso ou ambos. O tratamento cirúrgico consiste na excisão do tumor e no envio do material para processamento e exame anatomopatológico. Dependendo do resultado é feito acompanhamento ou recomendado quimioterapia.

Certos tipos de câncer requerem somente quimioterapia. É importante ressaltar que 75% dos animais que passam por quimioterapia não apresentam efeitos colaterais como pode acontecer com os seres humanos (queda de cabelo, enjoo e outros sintomas gastroentéricos).

Os sintomas de um animal com câncer podem ser os mais variados como aumento de volume anormal (calombos) na pele ou subcutâneo com cor normal, avermelhada, enegrecida ou ulcerada, vômito, inapetência, falta de ar, emagrecimento, aumento de volume abdominal, aumento de volume no testículo, caroços nas mamas, aumento de volume em determinado osso, manqueira (claudicação), dificuldade de locomoção, desorientação, mudança de comportamento, dificuldade de urinar, sangramentos na boca. Nos gatos brancos, úlceras na pele e pontas de orelha e focinho.

 


 

Ortopedia Veterinária

A Clínica Veterinária É dos Bichos tem uma equipe de ortopedistas veterinários especializados na área de ortopedia de pequenos animais,e presta serviço clínico e cirúrgico.

Cães e gatos podem apresentar problemas ortopédicos congênitos como displasia de cotovelo e má-formação óssea da coluna e tórax, que podem resultar em problemas de locomoção. Temos também as doenças articulares juvenis que precisam de um diagnóstico precoce e de tratamento cirúrgico. Cada caso deve ser acompanhado individualmente, pois,dependendo do sintoma, cada animal terá um tipo de tratamento.

Há também problemas secundários a traumas, como quedas, atropelamentos, brigas e os mais graves de coluna como as hérnias de disco em cão, paralisia de membros, dificuldade de defecar e urinar.

Com a idade podem aparecer problemas articulares do animal idoso, que dificultam muito a locomoção.

Além da orientação de profissionais competentes, nosso departamento de ortopedia tem apoio de uma completa infraestrutura de radiologia (RX), exames de tomografia e setor de fisioterapia veterinária para a mais rápida recuperação do animal.

Os principais sintomas de problemas ortopédicos são manqueira, dificuldade de locomoção ou para se levantar e deitar, lamber ou morder regiões específicas, não apoiar um membro, diminuição do apetite, ficar deitado o dia todo em uma mesma posição, aumento de volume nos ossos ou ao redor deles e dificuldade de urinar ou defecar.

 


 

Cardiologia

O serviço de cardiologia é preparado para o pronto atendimento das doenças graves de coração e pulmão e é integrado à UTI totalmente equipada. A especializada equipe de Cardiologistas Veterinários, através de exames como eletrocardiograma, eco-doplercardiografia mensuração da pressão sanguínea, holter e exames radiográficos, diagnostica as principais enfermidades cardiorrespiratórias dos animais.

Cães e gatos sofrem de várias enfermidades cardiorrespiratórias causadas principalmente por idade avançada, parasitas, trauma (atropelamentos, brigas) e predisposição racial. Há também doenças cardíacas congênitas (em filhotes), doenças valvares de tricúspide, mitral e aorta, tumores cardíacos, alterações de pericárdio, os que necessitam de marca-passo, e problemas pulmonares como asma, pneumonia, pneumotórax e edema pulmonar. O diagnóstico precoce é essencial para uma sobrevida maior e com mais qualidade.

Os sintomas mais comuns de doença cardiorrespiratória incluem cansaço fácil, secreção nasal, falta de ar, língua azulada, tosse, sopro cardíaco, aumento de volume abdominal, desmaio, intolerância ao exercício e outros.

Animais que passarão por cirurgia também devem passar por avaliação cardiológica.

 


Ultrassom

A história do ultrassom começa em julho 1955 quando um obstetra escocês, Ian Donald, tomou emprestada uma máquina industrial de ultrassom usada para detectar falhas no metal e testou em alguns tumores, que tinham sido removidos previamente e usando um pedaço de carne como controle. Descobriu que os diferentes tumores produziram ecos diferentes. Logo Donald já usava o ultrassom não somente para tumores abdominais nas mulheres mas também em mulheres grávidas.

A partir daí, também deu-se início à utilização da ultrassonografia na Medicina Veterinária. Atualmente, o ultrassom é um dos melhores métodos de diagnóstico empregados não só para pequenos animais como também para grandes. É amplamente utilizado para diagnósticos de prenhez e detecção de tumores intra-abdominais, dentre outras patologias.

A Ultrassonografia é um dos maiores aliados do Médico Veterinário hoje, pois é possível diagnosticar diversas doenças precocemente que possa acometer cães e gatos.

 


Internação

Todos os animais internados devem estar sob supervisão direta de um clínico do Hospital Veterinário É dos Bichos e para isso deve ter passado em consulta médica. Somente depois da avaliação é que poderemos nos responsabilizar por seus cuidados e tomar as medidas e procedimentos necessários para sua completa recuperação.

O período da diária de internação é de 24 horas e seus valores variam de acordo com o grau de complexidade do paciente e os cuidados exigidos. Sendo assim, o valor é determinado no momento da avaliação clínica.

Animais com diagnóstico ou suspeita de Cinomose não são internados, por se tratar de uma doença altamente contagiosa e que normalmente não necessita de cuidados de UTI. Os animais muito agressivos ou de difícil manipulação podem ter restrição quanto à internação, visto que nesses casos não poderemos nos dedicar da maneira adequada para sua recuperação.

Pertences de animais internados devem estar identificados e não nos responsabilizamos pela sua integridade. Os animais internados devem estar livres de ectoparasitas (pulgas e carrapatos) e quando isso não ocorrer, usaremos de medicamentos antiparasitários, cobrados à parte.

Visitas

A nossa prioridade em relação a todos os nossos pacientes internados é oferecer os melhores cuidados médicos, mas sabemos que os pacientes também necessitam de suporte emocional, portanto incentivamos a sua visita ao seu animal.Para garantir os melhores cuidados a todos os pacientes recomendamos que nossos clientes sigam as recomendações na visita ao seu animal internado.

Regras para internação

Atualizações sobre o estado médico de seu animal podem ser dadas por telefone diariamente. Pede-se compreensão se não for possível atender o telefonema imediatamente.

Identifique-se na recepção no início de cada visita e espere o veterinário ou enfermeiro para acompanhá-lo até a internação.

Respeite a privacidade de todos os nossos pacientes e clientes. Procure não ler os prontuários médicos de outros pacientes e muito cuidado para não tocar outros animais que não sejam o seu. Esse comportamento pode estressá-lo e lembre-se sempre: todo animal morde.

Sempre esclareça suas dúvidas com o Médico Veterinário Responsável pelo caso. Procure também aproveitar o período de visita de seu animal na internação para obter atualizações sobre o quadro clínico com a equipe médica veterinária, respeitando o horário de visita estipulado para que todos possam usufruir desse tempo.

Se houver um paciente em estado crítico ou uma emergência na internação, pode não ser possível permitir a visita no momento, ou pode ser que você precise se retirar.

Trabalhamos para que o período de internação de seu animal de estimação seja o mais breve possível e que a recuperação de nossos pacientes seja completa.

 


Silvestres

Animais silvestres e exóticos mantidos como Pet

Hoje em dia tem ocorrido um crescimento grande no comércio de animais silvestres e exóticos mantido como pet no Brasil. E com isso um grande aparecimento de animais silvestre e exótico nas clinicas veterinárias.

Animais Silvestres – O termo se refere a animais que vivem nos ecossistemas naturais de nosso país.

Animais Exóticos – Por definição, seriam os animais “estrangeiros”, são animais vindos e oriundos de outros países.

Animais de Laboratório – São animais criados normalmente em laboratórios de pesquisa, para servir como cobaias. Muitos deles são vendidos e criados como animais de estimação.

Animais de Criação Não Convencionais – Alguns animais Silvestres e ou Exóticos são criados como animais de criação e produção comercial em fazendas especializadas. Essas fazendas e animais devem ser registrados no IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). E licenciados pelo mesmo órgão e por associações de criadores.

Animais Ornamentais – São animais Silvestre e ou Exóticos criados para fins ornamentais e ou de hobby e também devem ser criados por criadores registrados e legalizados pelo IBAMA e por associações.

A maior razão para adquirir animais Silvestre e Exóticos de criatórios legalizados pelo IBAMA é o risco Zoonótico e combater o tráfico de animais. A maioria das espécies animais ainda não foram suficientemente investigada e analisada para que fossem definidos totalmente seus parâmetros Patológicos e Zoonóticos. Muitos desses animais são portadores de doenças inclusive fatais para o homem. Mas também não podemos afirmar que animais adquiridos em criatórios legalizados pelo IBAMA não tenham doenças mas o risco é bem menor.

Não defendemos e, obviamente, nunca promoveremos o comércio e o contrabando de animais Silvestres, porém, ao honrarmos o juramento de colação de grau, não devemos negar auxílio e atendimento, pelo menos em nível inicial e ou emergencial, a animais com os quais não tivemos contato no curso acadêmico.

Com isso os veterinários estão se especializando para poder atender esta demanda na clínica. As espécies que mais aparecem são roedores, aves, répteis e alguns primatas.

Os proprietários tem um grande problema em detectar quando estão doentes e como alimenta-los diariamente, assim, pode-se observar muitos animais com deficiência nutricional como anorexia, má formação óssea, crescimento moderado e fora de padrão para a espécie e até mesmo óbitos. Sem contar que devemos saber o tipo de alimento que o animal como verdura, legumes, frutas, semente, carne ou insetos. Devemos sempre lembrar que o animal em vida livre tem como escolher e procurar a melhor alimentação para ele sobreviver e satisfazer sua parte nutricional.

Também podemos salientar a falta de estrutura para manter o animal como tamanho de gaiolas, terrários, aquaterrários, viveiros etc. Com isso devemos também estar ciente o tipo de clima que o animal vive e prefere não podemos ter uma chinchila que é um animal de clima frio em uma gaiola com lâmpadas de aquecimento, pois, o animal irá a óbito sem duvida.

Devemos saber métodos de aquecimento se com lâmpadas, aquecedores ou luz solar. E também saber o melhor tipo de fundo de recinto como terra, areia, pedra, jornal, vidro, folhas, serragem, madeira etc.

Então antes de adquirirmos um animal silvestre ou exótico devemos pesquisar e aprender o máximo possível sobre este animal, seus hábitos, sua alimentação, seu habitat.

Todas as suas dúvidas podem ser esclarecidas com o médico veterinário especialista em animais silvestres, pois, ele poderá esclarece-las da melhor forma possível, para que ocorra sua melhor e maior satisfação e melhor modo de vida e saúde do seu animal.